FLUÊNCIA DE DADOS

Com dados possuindo um papel cada vez mais importante nas atividades de missão, processos e tomada de decisões da CV, partimos em uma jornada para desenvolver nossos “músculos organizacionais” sobre dados e análises.

Em Novembro de 2019, lançamos nossa primeira pesquisa para toda a organizacão sobre Fluência de Dados, buscando identificar como a equipe da CV interage com os dados, as habilidades de dados que existem nas equipes, e o nível que os dados fazem parte da nossa cultura e tomada de decisões.

Por que a Fluência de Dados importa?

Assim como ser fluente em um idioma, a fluência de dados permite que as pessoas expressem ideias sobre dados em um idioma compartilhado. Embora que incorretamente, os termos fluência de dados e literatura de dados são algumas vezes usados como se significassem a mesma coisa. No entanto, se a literatura é a habilidade de ler e escrever um idioma em particular, a fluência, então, é o padrão de proficiência e comando desse idioma. O mesmo se aplica ao idioma dos dados.

Fluência de dados conecta os colaboradores de diversas funções por meio de um conjunto de padrões, processo, ferramentas e termos. Colaboradores fluentes em dados podem converter informações originais e cruas em informações passíveis de ação, pois eles sabem que dados estão e não estão disponíveis, o que os dados representam, como interpretá-los, e como usá-los de forma apropriada. Uma organização fluente em dados rejeita a ideia de que apenas alguns colaboradores selecionados devem ser guardiões da informação. Em vez disso, é tudo sobre espalhar o conhecimento através do amplo acesso aos dados por toda a organização, melhorando a tomada de decisão para todos.

Quando a cultura de uma organização promete acessibilidade, interpretação e relevância de seus dados, líderes e equipes podem confiantemente tomar decisões mais rápidas e melhores. Quando as equipes e departamentos por toda uma organização têm o mesmo conhecimento dos dados, é mais fácil definir KPIs (Key Performance Indicator) e rastrear/prever o sucesso. Sem uma forte cultura de dados, esta parte frequentemente se torna um debate decorrente de dados divergentes, facilitando, portanto, uma falta de confiança. No entanto, com fluência de dados, há uma versão única da verdade com a qual podemos trabalhar; algo que qualquer pessoa pode entender e aceitar. A fluência de dados também promove curiosidade dentro de uma organização. Quando os colaboradores estão aprendendo coisas novas, eles estão usualmente mais engajados em seus papéis, levando a perguntas mais inteligentes, melhor análise de dados, e melhores resultados.

Orientado pelos dados ou pelo Espírito?

Alguns podem imaginar incompatibilidade, ou pelo menos um conflito em uma organização cristã entre tomar decisões baseadas em dados versus ser orientado pelo o que o Espírito Santo está dizendo. Essas abordagens podem certamente ser uma tensão, especialmente se os cursos de ação respectivos são contraditórios. O conflito seria exarcebado se tomar uma abordagem orientada pelos dados não for considerada “espiritual”, ou inversamente uma abordagem espiritual não ponderada for considerada “fé inconsequente”. No entanto, a realidade é que todos nós tomamos milhares de decisões por dados, diariamente, sem parar para orar a respeito ou nos sentirmos espiritualmente culpados.

Alguns argumentam do senso comum é de uma qualidade espiritual, especialmente quando alguém está ancorado em uma vida de oração e discernimento prático. Portanto, muitas organizações preferem usar a terminologia “informado por dados e orientado pelo Espírito” para resolver as tensões, o que coloca os dados como uma voz respeitada no processo de tomada de decisões, enquanto permite que Deus guie o caminho.

Pesquisa de Fluência de Dados Nossa pesquisa foi inspirada em Gemignani e Gemignani (2014) que propuseram uma ferramenta de Inventário da Fluência de Dados, bem como em Bugembe (2018) que descreve as marcas da cultura informada por dados. Adaptamos os conceitos deles e outros recursos para preparar uma pesquisa para medir:

* Sentimento a respeito de dados

* Interação em nível individual e por equipes com os dados

* Proficiência em consumir os dados

* Proficiência em produzir com os dados

* A cultura de dados da CV

Com 240 respostas de colaboradores de 18 países, 20 departamentos e 30 funções diferentes, obtivemos uma visão mais clara da fluência de dados na CV. Dentre diversos insights que obtivemos, descobrimos:

* 73% dos respondentes concordaram que os dados, análises e IA (Inteligência Artificial) terão um impacto transformador na CV nos próximos anos.

* 32% deles se sentem “fortemente” preparados e equipados para este futuro enquanto 59% dizem que se sentem “de certa forma” preparados e equipados.

* 91% dos respondentes disseram que gostariam de desenvolver suas habilidades de dados.

Esta rica mina de dados agora forma uma linha base para estratégias focadas para aumentar a fluência de dados em nível individual, por equipe e organizacional. Ela também nos ajudou a ver que é imperativo e esta em jovo o desejo de desenvolver nosso “músculo organizacional”. Bem vindo à jornada!

CUMPRA A SUA VISÃO.

Nosso conteúdo pode ajudar sua igreja ou organização com estratégias de evangelismo e discipulado mais efetivas.